Constat reforçará em 2012 seu programa de canais

Empresa comemora neste ano duas décadas de atuação no mercado

A empresa gaúcha Constat vai reforçar em 2012 o seu programa de canais em todo o País. Apesar de já ter parceiros que comercializam a sua solução Qualitor em mercados como o de São Paulo, Bahia, Brasília e Manaus, entre outros estados, a ideia é aprofundar esse relacionamento.
O Qualitor é uma espécie de ERP, mas que faz a gestão do atendimento. O produto já está disponível para venda na nuvem e para rodar na plataforma da Oracle. “É importante termos o governo como cliente e a Oracle é um fornecedor de solução para muitas instituições públicas”, comenta Donald dos Reis, diretor de negócios da empresa.

A Constat não trabalha com tecnologias de multinacionais, como é comum nesse mercado de empresas nacionais de Tecnologia da Informação (TI). A empresa possui três unidades de negócios. Entre elas está a fullservice, voltada para os serviços de outsourcing que vai desde a alocação de pessoas para atuarem nos clientes até a gestão com uma metodologia que foi aperfeiçoando ao longo dos anos.

A outra unidade é a de infraestrutura, focada no desenvolvimento de negócios através da alocação de ativos de TI, em parceria com a empresa Microcity. E a outra área na qual atua é a do Qualitor, produto que faz a gestão de atendimento em help desk, Serviço de Atendimento aos Clientes (SAC) e ouvidorias.

Nesse ano em que celebra duas décadas de atuação no mercado a Constat apresentou novidades, como o lançamento da central PABX-IP, que permite a integração da ferramenta da Constat com a central de chamadas das empresas. Além disso, está integrando o Qualitor ao MonitoraIT, ferramenta de monitoramento da Netwall, após um acordo operacional fechado entre os dois players.

A Constat projeta fechar o ano com faturamento de R$ 23 milhões, sendo 35% desse desempenho atribuído ao Qualitor. A expectativa é que o produto seja responsável por um faturamento de R$ 10 milhões em dois anos.

A empresa tem sede em Porto Alegre e unidades em São Paulo e Caxias do Sul. Além disso, exporta para países como Uruguai, Espanha, Portugal e África do Sul. O continente africano, aliás, é uma grande aposta já que, segundo Reis, tem um custo de competição menor do que mercados tradicionais, como os Estados Unidos. “A bola da vez é a África”, diz. O executivo também comemora a presença das soluções da empresa gaúcha em companhias transnacionais, através de clientes como Odebrecht, em 14 países, Braskem e ALL.

Fonte: Jornal do Comércio

http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=77474

 

Share on FacebookShare on LinkedInShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Leave a Reply